Categorias
Notícias

“One Love Manchester”, emociona, surpreende e cumpre seu objetivo ao ajudar as vitimas dos ataques terroristas

Por Ygor Gomes

Foi realizado nesse domingo (04), o “One Love Manchester“, show em prol das vitimas dos atentados terroristas que ocorreram na cidade inglesa no mês de maio, após um show da Ariana Grande. O evento foi organizado pela própria Ariana e teve a participação de diversos outros artistas.

Esse evento foi a primeira aparição publica de Ariana após os ataques, ela havia anunciado a apresentação através de suas redes sociais e previamente já tinha confirmado algumas atrações, porém, durante o evento tivemos algumas surpresas, como Take That e Liam Gallagher.

No sábado (03), mais ataques ocorreram em Londres, o que deixou a todos bastante apreensivos quanto a realização do evento no domingo, porém a produção afirmou que o show estava confirmado e que a segurança era garantida durante as apresentações.

Foram arrecadados mais de 10 milhões de Libras, mais ou menos 40 milhões de reais e toda essa renda será revertida para o fundo de emergência “We Love Manchester” e depois será transferida para as famílias das vitimas dos ataques. O evento foi transmitido mundialmente por plataformas de Streaming, como Youtube, Apple Music, Facebook, Twitter, na televisão pela MTV, BBC e aqui no Brasil, pelo Multishow, esse é até agora o evento mais assistido da televisão inglesa, com mais de 22 milhões de telespectadores, chegando a ser comparado com o “Live Aid” de 1985.

A emoção foi o principal elemento em todas as apresentações do dia, com diversas parcerias, com Ariana Grande marcando presença na maioria delas, podemos destacar as parcerias com o Black Eyed Peas, Miley Cyrus e Coldplay, mas talvez o encerramento do evento com todos os artistas no palco se reunindo para cantar “One Last Time“, música da própria Ariana, que foi cantada em coro por todo o estádio.

Foi um marco importante, tanto para a história da musica quanto para o combate ao terrorismo, esse evento será lembrado por muito tempo, não só como um show que uniu vários artistas, mas sim como uma união de diversas nações contra algo que nos aterroriza diariamente.

Caso você queira fazer sua contribuição a causa, pode ver todos os detalhes nesse site: www.onelovemanchester.com

Categorias
Resenha de Álbum

Com “Last Young Renegade”, All time Low mostra crescimento e tenta alcançar novos objetivos na carreira

Por Ygor Gomes

O All Time Low cresceu e vem mostrou um amadurecimento em suas músicas. Isso pode ser percebido a cada lançamento e até mesmo no comportamento da banda, que foi de um grupo da cena alternativa americana a pessoas de quase 30 anos de idade consolidados em sua carreira, que sabem muito bem o que estão fazendo. O grupo vinha trabalhando em segredo no disco ‘’Last Young Renegade’’ a quase um ano. Atualmente eles fazem parte da Fueled By Ramen, uma gravadora conhecida por produzir artistas como Paramore e Twenty One Pilots.

“Last Young Renegade” é a conclusão de todo o trabalho que a banda fez durante todo esse tempo, no ano em que marca uma década de lançamento do disco que os fez ficarem conhecidos mundialmente. É um álbum bastante linear que consegue prender o ouvinte e também não deixa a desejar. Mesmo com diversas musicas que não usam muitas baterias e guitarras, trocando esses elementos por sintetizadores, os elemento de pop punk ainda são bastante presentes.

Esse tom mais adulto e um pouco mais pop do que punk pode levar a banda a um novo degrau na indústria musical, atraindo o grande publico e a mídia massiva. Uma grande evolução para o grupo, que já tentou isso com o álbum “Dirt Work“, lançado em 2011 por outra grande gravadora, mas não conseguiu atingir muito seus objetivos.

Podemos ver que a banda está mais evoluída e ciente do que fazem, “Last Young Renegade” é o trabalho mais adulto e sério do All time Low, é uma mudança bem vinda e bastante consciente e que nos mostra o crescimento tanto musical quanto individual da banda.

Categorias
Resenha de Álbum

Papa Roach faz uma visita às suas origens com o novo “Crooked Teeth”

Por Ygor Gomes

Com quase duas décadas de existência, o Papa Roach lançou no último dia 19 seu novo álbum de estúdio, “Crooked Teeth”.

A banda vem tentando se reposicionar na indústria desde seu o álbum, “F.E.A.R” em 2015. O CD não recebeu muita atenção na época e foi definido como fraco pela maioria da mídia especializada. O Papa Roach sumiu por um tempo após esse lançamento, retornando aos poucos no ano passado com uma turnê mundial e a produção do novo álbum.

Crooked Teeth chega como uma forma da banda se renovar pois, como nas palavras do próprio Jacoby Shaddix, vocalista da banda, em entrevista recente a uma rádio americana , o som deles estava se tornando repetitivo e eles precisavam sair um pouco da caixa e fazer algo diferente.

Com esse álbum a banda volta um pouco as suas origens produzindo um bom “rap-rock”, em musicas como “Break The Fall“, “Born For Greatness” e “Sunrise Trailer Park” que conta com a participação do rapper Machine Gun Kelly. O disco tem uma pegada muito mais pesada que seu antecessor e não deixa cair o ritmo em nenhum momento. A balada “Periscope“, que tem a participação da cantora Skylar Grey, que é um momento de transição do CD.

No contexto é um bom trabalho, porém não mostra uma verdadeira mudança na carreira da banda. O álbum é entregue como uma produção mais voltada para os fãs que já conhecem e acompanham o grupo há algum tempo. O disco e sua versão Deluxe vêm com uma apresentação ao vivo realizada no ano passado nos Estados Unidos, que vem como um bom bônus mas deixa a desejar na qualidade do som.

Podemos destacar desse trabalho as faixas “My Medication“, “None of the Above“, a faixa-título “Crooked Teeth” e “Help“, algumas dessa já haviam sido divulgadas antes e são uma ótima pedida para começar a descobrir a banda.

Categorias
Resenha de Álbum

Resenha: ‘Night People’, o novo álbum do You Me At Six

Por Ygor Gomes

Foi lançado nessa sexta-feira (06/01) Night People, o novo álbum dos ingleses do You Me At Six. Após quase três anos sem lançar nenhum material novo, a banda anunciou esse disco no fim de 2016 e já haviam lançado o single homônimo ao título do álbum.

Night People vem para afirmar a mudança de estilo que a banda teve nos últimos trabalhos, deixando um pouco de lado a pegada pop-rock e se voltando muito mais para o rock alternativo. Com um som mais maduro, eles se estão se reinventando e se tornando muito mais completos.

you_me_at_six_night_people_album

O álbum começa com a pesada faixa que leva o nome do CD. Já anima desde o começo e se mantém bem para cima pelas três primeiras canções. Nas duas seguintes eles acalmam um pouco as coisas, dando um espaço para as próximas canções que completam um disco bem agitado em sua maioria e que podemos deixar bem destacadas as faixas: “Heavy Soul”, “Brand New” e “Swear”, que formam a identidade do álbum e faz dele ser tão linear.

Esse CD, o quinto da banda, é uma afirmação do crescimento do tanto artístico quanto pessoal do You Me At Six, que realmente deixou de lado aquele som mais adolescente e agora desejam dar passos maiores, isso já aconteceu desde o Cavalier Youth (o álbum antecessor, de 2014), que conseguiu alcançar primeiro lugar nos rankings do Reino Unido.

Esperamos que Night People seja muito bem recebido por todos, pois é um disco bastante completo e que não há perda de tempo em escutá-lo.