Arquivo da tag: Filho do Meio

Lançamento: O ‘Filho do Meio’ de Jonathan Tadeu

Por Guilherme Schneider | @Jedyte

Para alegria de seus fãs, Jonathan Tadeu não parecer descansar tanto. O cantor e compositor mineiro lançou neste terça-feira (4/4) o seu mais novo álbum, ‘Filho do Meio‘. Com apenas dois anos de carreira solo, Jonathan já soma três álbuns lançados – os anteriores foram ‘Casa Vazia’ (2015) e ‘Queda Livre’ (2016). Cada um com uma dose de melancolia diferente.

Antes de continuar a ler esse post, sugiro que dê o play no Bandcamp (ou no YouTube abaixo). A música de Jonathan se explica melhor do que qualquer resenha que venha a surgir nessa semana.

Dê cara se nota uma mudança substancial na sonoridade de Jonathan. Tá diferente sim. Tenho para mim o ‘Queda Livre’ como um dos melhores álbuns de 2016, o que de cara se põe um desafio para o ‘Filho do Meio’. Entre seguir a mesma linha dos álbuns anteriores, um tanto similares, Jonathan arriscou em assumir o flerte com o eletrônico mais minimalista.  Mais suave, mais etéreo, mais confiante e mais cheio de amor para dar.

Como? As mensagens refletem uma fase bonita na vida pessoal de Jonathan, filho único, que decidiu se casar bem na época da gravação – entre o natal e réveillon de 2016. Uma semana produtiva, cheia de esperanças no futuro matrimônio (só prestar atenção na letra de ‘Araxá 500‘), e que transparecem também ao longo das oito faixas do disco.

Os flertes minimalistas já haviam sido anunciados nos singles ‘Fantasmas‘ e ‘Sorriso Amarelo (talvez a de mensagem mais forte do álbum),  que tiveram os clipes divulgados no mês passado. As bases eletrônicas, harmonizadas com sintetizadores deram a pitada de Synthpop/Electropop – fruto do gosto por bandas como Notwist e Lali Puna (vide a entrevista abaixo).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ah, e aquela velha sinceridade nas letras é sentida novamente. E como isso pesa a favor. Por exemplo esdrúxulo, sempre me incomodou muito ouvir crianças no The Voice Kids cantando sobre ilusões e desilusões amorosas. Isso não acontece no ‘Filho do Meio’.

Dá pra sentir a verdade em “O que importa é o que te faz bem”, como aconselha em ‘Alicerce‘, faixa que encerra o álbum. Ou que tal a confissão de “Eu amo demais”,  de ‘Festa de Despedida’, que pode ecoar por horas em seus ouvidos? Fico ainda com a profundidade de “Eu sou um amador em tudo o que faço”, de ‘Deus Sempre Mata Os Saudosistas Primeiro‘. Pra pensar.

Não tenho a menor dúvida que Jonathan Tadeu é um dos nomes mais relevantes da atual geração da música brasileira. Uma geração que merece ser achada o quanto antes. Não conhece? Hora perfeita para dar uma chance para quem se reinventa sem perder a essência.

Jonathan segue na estrada com a turnê “Sem Sair na Rolling Stone” (abre o olho, Rolling Stone!) com dezenas de shows marcados – ainda na turnê ao lado de Vitor Brauer, ex-companheiro de Lupe de Lupe (aliás, a relação com a banda é narrada na imperdível faixa ‘Lupe de Lupe‘). No final do mês eu ajudo a engrossar o coro de “Pelo amor de Deus, Jonathan Tadeu” aqui no Rio de Janeiro.


Conheça mais sobre Jonathan Tadeu no RIFF Spotlight:

Anúncios

A VERSÃO 3.0 DE JONATHAN TADEU: “FANTASMAS”, O PRIMEIRO SINGLE DO NOVO ÁLBUM

Por Tayane Sampaio

Desde a sua estreia como artista solo, Jonathan Tadeu, que também é fotógrafo, videomaker e cofundador do coletivo Geração Perdida de Minas Gerais, transforma situações e inquietudes do cotidiano em canções. A honestidade parece ser uma das causas da admirável produtividade de Jonathan, que lançou o primeiro álbum, “Casa Vazia”, em 2015, e apenas um ano depois nos presentou com o comovente e bonito “Queda Livre”.

Jonathan é um artista em constante evolução. Apesar do pouco espaço de tempo entre um CD e outro, o músico mostrou, em seu segundo disco, que já estava em uma versão melhorada de si mesmo. Sem perder a identidade ou a sinceridade cortante presente em trabalho de estreia, o mineiro encontrou uma forma mais ensolarada de lutar contra os demônios do passado. Entre guitarras dedilhadas e letras martirizantes, Jonathan também dá espaço para um otimismo reconfortante nas músicas do “Queda Livre”.

Para o terceiro álbum, “Filho do Meio”, que virá ao mundo no dia 04 de abril, o músico promete mudanças. São muitas as novidades para o próximo lançamento, o que só confirma o desprendimento do compositor para seguir padrões ou tentar se encaixar em rótulos. Começando pela capa do álbum, que você vê abaixo. Pela primeira vez, o cantor aparece na capa do próprio disco. Jonathan se apresenta, aos ouvintes desavisados, pelas lentes do fotógrafo e videomaker Flávio Charchar. A palavra final, em relação à escolha da foto pra capa, ficou por conta dos fãs que contribuem financeiramente com o trabalho do artista, por meio da plataforma APOIA.se.

capa.JPG
Jonathan Tadeu © Flávio Charchar

A sonoridade da obra de Jonathan também está em processo de transformação. O indie e sadcore, presentes no tão polêmico “rock triste”, darão lugar à uma atmosfera mais R&B. A guitarra, sua fiel companheira, dará espaço aos sintetizadores. Os temas das canções também tendem a mudar, pois, agora o músico narra acontecimento mais recentes, como estar em turnê com os amigos, laços de amizade perdidos, o casamento recente e sua relação com Belo Horizonte. João Carvalho (El Toro Fuerte, Rio Sem Nome, Sentidor), produtor do álbum, afirma que o disco será mais “dedo na ferida”.

O primeiro single dessa nova fase, “Fantasmas”, é uma animadora prévia do que está por vir. Com uma introdução melancólica, seguida de uma bela performance vocal do músico, a canção cresce e explode com as batidas que também iniciam o declínio da faixa, que termina com um quê de canção de ninar. Abaixo, você confere o clipe da música.

O vídeo, simples e extremamente bonito, conversa com os outros trabalhos audiovisuais do cantor, que quase sempre retratam momentos cotidianos, que tratamos como irrelevantes na correria do dia a dia, mas que, no fundo, estão carregados de significados. Dirigido por Charchar, o clipe é o primeiro da carreira de Jonathan que não foi autodirigido.

Misterioso, o vídeo nos deixa cheios de questionamentos quanto ao seu significado. A letra, muita curta, também deixa um espaço vazio para livre interpretação. Mas, no final das contas, dá pra encarar o ato corriqueiro de fazer a barba como uma espécie de culto de renovação.  Talvez o vídeo seja uma metáfora para essa onda de mudanças na vida de Jonathan, a total entrega ao processo de composição de um álbum, a confiança em deixar outras pessoas intervirem em sua obra, e, por fim, o resultado: a mesma pessoa, mas com uma cara nova e pronta para “começar tudo de novo”.

No final das contas, fica um sentimento bom ao ver que Jonathan não se entregou à passividade, ao status quo de destaque na cena independente brasileira, e ainda procura se reinventar, sair da sua zona de conforto, mas sem deixar sua essência de lado. Ainda falta um pouco para podermos conferir o resultado completo dessa nova fase, mas, pelo que pudemos ver e ouvir até agora, vem coisa muito boa por aí!

Confira o tracklist de “Filho do Meio”:

1. Fantasmas
2. Sorriso Amarelo
3. Deus Sempre Mata Os Saudosistas Primeiro
4. Lupe de Lupe
5. Questão de Classe
6. Festa de Despedida
7. Araxá 500
8. Alicerce