Resenha: Divisa, Linda Lobo e Drops 96 @Lapa Rock Experience

Por Natalia Salvador | @_salvadorna

A Lapa, no Rio de Janeiro, é muito conhecida por acomodar democraticamente pessoas de vários estilos, gostos e nacionalidades. Na noite de duas sextas-feiras atrás (26/8), o berço da boemia foi palco para o lançamento do novo EP da banda Divisa(auto)retrato’, que contou com a parceria – de peso – de bandas amigas convidadas. Ali, o fim de semana prometia começar agitado, e começou.

Já eram mais de 22 horas, quando a banda Linda Lobo iniciou os trabalhos da noite. Além da boa música, o que chama atenção nos meninos da zona norte carioca é o carisma e a presença de palco do vocalista, Rocky Malias. Por conta de alguns atrasos, o show foi curto e acabou provocando desentendimentos entre músicos e técnicos da casa. Apesar dos sustos, deu pra notar que a alcateia da Loba sabe onde está pisando.

Logo em seguida, a Drops 96 assumiu o palco e animou o público com um show maduro e cheio de energia. O setlist trouxe diversas músicas do novo cd ‘Busque mais da vida’ e algumas releituras de Planet Hemp, O Rappa e Tim Maia, que parecem aproximar e atrair ainda mais quem não conhece o trabalho autoral da banda. Mas o ponto alto da noite ficou marcado com Mais que um olhar e Palco da vida, músicas do álbum ‘Felicidade em estar aqui’, de 2014, que contaram com a ajuda do coro da plateia aos vocais de Fábio Valentte. O sorriso no rosto dos meninos deixou a galera ainda mais ansiosa para o último show da noite.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois de um hiato e muitas mudanças, o show de lançamento do EP ‘(auto)retrato’ marcou a volta aos palcos cariocas da banda Divisa. Além das músicas novas, a apresentação contou com covers de The Killers e até Tiago Iorc, o novo nome nacional no quesito amor em forma de música, além de faixas da outra fase da banda. Para apresentar o single ‘Coisa de gênio’, o baterista Teo Kligerman, da banda Hunna, assumiu as baquetas, dando um descanso para a apresentação dupla de Bruno Lamas. Já no fim do show, sem deixar as raízes de lado, Sempre quis traz uma melodia mais pesada e mostra que o trio voltou com – muita – vontade de ficar!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s